As 4 Leis da Simplicidade e como aplicá-las no dia-a-dia

Pedras zen

“A vida é realmente simples, nós é que insistimos em complicá-la.”
- Confúcio

O problema com a maior parte dos livros e guias sobre como simplificar a sua vida, a sua casa e a sua carreira, é que normalmente são muito complicados. Exige-se um método simples para podermos, de facto, simplificar! E aqui estão: as 4 Leis da Simplicidade e como aplicá-las no dia-a-dia.

Este método simples – o qual chamamos as 4 Leis da Simplicidade – pode ser aplicado à sua vida em geral ou apenas a uma área específica e basicamente resume-se ao seguinte:

  1. Juntar tudo num só sítio.
  2. Escolher o essencial.
  3. Eliminar o resto.
  4. Organizar o que resta de uma forma ordenada.

Para ilustrar muito rapidamente este método, escolhemos como exemplo uma gaveta. Digamos que esta é a gaveta mais desarrumada de toda a casa: contém os menus de take-away de restaurantes que já fecharam há séculos, manuais de electrodomésticos que já foram à vida, mais elásticos e clips do que alguma vez mais precisar, uma colecção de selos que já não se lembrava de ter começado, lembranças de um cruzeiro que fez com os seus sogros e que quer realmente esquecer, para não falar de um cheiro um tanto ou quanto estranho. Podia passar o dia inteiro a tentar pôr ordem nessa bagunça ou fechá-la (pela centésima vez!) deixando essa tarefa para outro dia. Hoje vamos ver como é que se aplica o nosso método de 4 passos no caso desta gaveta:

  1. Junte. Esvazie a gaveta por completo, colocando todo o seu conteúdo numa pilha.
  2. Escolha. Faça uma escolha muito selectiva dessa pilha, retirando apenas aquelas coisas que são realmente importantes. Coloque-as numa pilha separada. 
  3. Elimine. O resto terá de ser eliminado – nada de sentimentalismos! Já não precisa desses manuais, coloque-os na reciclagem e guarde os clips num local mais adequado, como no escritório. Seja no lixo, na reciclagem, noutra parte da casa ou nas mãos de um amigo ou familiar, desfaça-se dessa pilha de coisas.
  4. Organizar o que resta de uma forma ordenada. Agora, limpe bem a gaveta e arrume o que sobrou, de forma organizada. Agrupe objectos similares, deixando algum espaço livre em torno dos mesmos. O espaço cria sempre uma ilusão de simplicidade e arrumação.

E já está! Tem agora à sua frente uma gaveta bonita, simples e organizada… e sem cheiros esquisitos esperamos nós!

E a melhor parte de tudo isto? Este método extremamente simples pode ser aplicado em qualquer e em todas as áreas da sua vida. Recomendados que foque as suas atenções numa área de cada vez, iniciando e concluindo o método antes de passar para a área seguinte. Se são poucas as áreas da sua vida que quer simplificar, pode fazer uma por semana; se são muitas, pode duplicar esse objectivo. Para dar uma ajudinha, reunimos alguns exemplos de como pode aplicar as 4 Leis da Simplicidade no seu quotidiano:

Armários. Concentre-se numa zona do armário de cada vez – uma prateleira de cada vez, por exemplo. Retire tudo da prateleira e coloque no chão. Faça uma escolha criteriosa de todas as coisas, ficando apenas na posse daquelas que realmente adora. Coloque o restante numa caixa para doar. Volte a guardar tudo na prateleira, organizando-a ordeiramente com recurso a caixas de papel, tecido ou transparentes, agrupando os objectos semelhantes e, claro, deixando algum espaço livre. Passe para a próxima zona.

A sua roupa. Precisa mesmo de 40 t-shirts? Ou 40 pares de sapatos? Quantos pares de calças de ganga é que realmente veste? Organize cada gaveta e armário do seu quarto, um de cada vez. Coloque tudo em cima da cama e seleccione aquelas roupas que servem, que adora e que veste frequentemente. Quanto ao resto, dê à sua irmã, amigo ou a quem mais precisa. Guarde o resto nos seus devidos lugares, tendo o cuidado de deixar sempre algum espaço livre – não atulhe as suas gavetas até não conseguirem fechar!

Uma divisão. Se existem divisões da sua casa caóticas e demasiado cheias, comece com a mobília. Se não tem um propósito, não está a ser utilizada ou simplesmente não gosta, elimine. Agora retire todos os objectos que tem sobre as diferentes superfícies desse quarto – bancadas, mesas, prateleiras, secretárias – e divida-os em dois grupos: o que adora e o que não lhe diz nada. Fique com o primeiro e desfaça-se do segundo. Deixe as superfícies o mais limpas possíveis, adornando-as com o mínimo de objectos. Faça o mesmo com todas as gavetas, armários, paredes e chão. Não se esqueça: espaço livre é essencial.

A sua secretária. Retire tudo de cima da secretária (excepto talvez o computador e a impressora), mantendo apenas um porta-canetas, um tabuleiro para os assuntos pendentes e um ou outro passepartout. Guarde o resto em gavetas e arquive todos os papéis que andam à solta! Livre-se de tudo o resto. Depois, faça o mesmo com cada uma das gavetas da sua secretária. É muito mais relaxante trabalhar num ambiente simplificado. Uma vez concluída a secretária, “ataque” as estantes e mesas de apoio.

O seu inbox. Tem uma caixa de email repleta de mensagens novas e antigas? Crie uma pasta e passe todos os emails que tem na caixa de entrada para essa pasta. Analise-a, respondendo àqueles emails pendentes e/ou urgentes. Arquive ou elimine o resto.

As suas tarefas profissionais. A sua lista de afazeres já preenche quase um caderno inteiro? Está na altura de a dividir: comece por escolher as tarefas que quer mesmo executar ou então aquelas que lhe vão trazer maiores benefícios a longo prazo e compile-as numa só lista separada. Quanto ao resto, tente despachar pequenas coisas que estão apenas a “empatar”, elimine e delegue o que puder. A partir daí, concentre-se apenas na lista mais curta, mais crucial, tentando executar três coisas todos os dias.

Os seus compromissos. Elabore uma lista de todos os seus compromissos, profissionais e pessoais. Não se esqueça de incluir hobbies, clubes, associações, comunidades online, desporto, afazeres domésticos, as actividades dos seus filhos… inclua tudo aquilo que normalmente requer o seu tempo. Agora, assinale aqueles que têm um valor acrescentado, que lhe trazem prazer e benefícios a longo prazo. Se possível, esqueça o resto. Inicialmente, pode parecer muito difícil “fugir” a este ou àquele compromisso mas, se explicar às pessoas envolvidas que simplesmente não tem tempo, elas vão acabar por compreender. Assim, manterá apenas aqueles compromissos que adora e aos quais quer realmente dedicar-se. Em vez de preencher cada minuto da sua vida, opte por ter algum tempo livre.

Avaliação: