7 formas de manter-se acordado sem cafeína

chávena de café com grãos

Parece um zombie sem o seu café matinal? Em vez de utilizar a cafeína para manter-se acordado, fique a saber que pode fazer pequenas alterações no seu regime alimentar e passar a consumir comida que lhe dê mais energia. Com esta mudança de hábitos alimentares vai poder evitar a sonolência que toma conta das suas manhãs e a preguiça pós-almoço que invade as suas tardes.

Porquê cortar na cafeína?

Embora o café não seja tão prejudicial como muitas daquelas bebidas energéticas que andam por aí, a verdade é que a cafeína apresenta alguns “efeitos secundários” negativos. Eis alguns dos motivos pelos quais devia de reduzir o seu consumo de cafeína:

  1. Dependência. A cafeína é como muitos outros vícios e se tentar deixar ou cortar na quantidade que consome, o mais certo é sofrer com esta redução – dores de cabeça, desejos, sonolência, falta de concentração… Porquê tornar-se dependente de uma bebida? 
  2. Desidratação. A cafeína é um diurético, por isso, o seu organismo perde bastante água depois do consumo de cada chávena de café.
  3. A “queda” pós-cafeína. A energia inicial proporcionada por um café forte pode ser maravilhosa, mas o que acontece quando passa esse efeito? Depois de se estar com a energia em alta, ela desce tão rápida como uma montanha-russa, deixando-nos de rastos. E combater isso com mais cafeína pode não ser a melhor solução.

Tirar melhor proveito dos alimentos

A comida é o nosso combustível. Se não abastecemos o organismo com o combustível correcto ou com regularidade, depressa chegará ao vazio. Aproveite estas dicas alimentares para assegurar um elevado nível de energia, de manhã à noite:

  1. Passe de 2-3 refeições para 4-5. O nível de glicose no sangue é um factor crucial no que toca aos níveis de energia. Se apenas almoçar e jantar, o seu corpo vai registar picos de energia muito altos, seguidos de níveis extremamente baixos. Sabia que o próprio processo de digestão requer uma grande percentagem da sua energia? É por isso que se sente muitas vezes “mole” e cheio de preguiça depois de um bom almoço! Ao repartir melhor as suas refeições, vai ingerir menos comida de cada vez, o que vai equilibrar o nível de glicose no sangue e o consumo de energia que a digestão requer.
  2. Alimentos com baixo índice glicémico. As manhãs podem ser, e muitas vezes são, particularmente difíceis porque quando acorda o seu corpo está esfomeado. O truque é ingerir alimentos com baixo índice glicémico antes de se deitar: cereais integrais, legumes e fruta. Verá que em pouco tempo será muito mais fácil levantar-se mal toque o despertador.
  3. Coma fruta em jejum. A fruta demora muito menos tempo a ser digerida do que alimentos mais “pesados”, ou seja, 20-30 minutos em vez das habituais 1-3 horas. Ao comer fruta com o estômago vazio, esta passará rapidamente pelo organismo, dando ao nível de glicose no sangue aquele empurrãozinho de energia que precisa.
  4. Reduza o consumo de carne. Talvez adore tanto um bom bife que nunca conseguirá ser vegetariano, mas isso não quer dizer que não possa reduzir a quantidade de carne que faz parte da sua dieta. A carne é um alimento rico em proteínas e gorduras, o que a torna difícil de digerir, o que por sua vez, requer mais energia do que se consumisse um substituto vegetariano. Para além disso, a carne contém muitas outras hormonas e até pesticidas que podem influenciar os seus níveis de energia.
  5. 8 copos de H2O. Dois terços do nosso organismo é composto por água e, por isso mesmo, necessita de H2O para funcionar em pleno. Ande sempre com uma garrafa de água na bolsa, tenha uma na secretária e leve uma para a ginástica, para tornar o seu consumo regular. Outra forma de ver se está a beber água suficiente é observar a cor da sua urina: se for mais escura do que um amarelo pálido, provavelmente precisa de beber mais H2O. 
  6. Dê prioridade aos cereais integrais. Já falamos da importância que os alimentos com baixo índice glicémico têm no fornecimento de energia – o índice glicémico mede o ritmo de digestão do corpo. Os hidratos de carbono são rapidamente digeridos, produzindo um pico de energia, seguido de um crash. Embora estes alimentos sejam bons para quem estiver a recuperar de uma maratona, mais tarde, vão inevitavelmente resultar em índices de energia muito baixos. Ao optar por cereais integrais assegura um fornecimento contínuo de energia.
  7. Evite os desejos de açúcar a meio da tarde. Esta altura do dia é uma das mais complicadas para o seu nível de energia. Muitas vezes, por volta das 15h ou 16h, o corpo já sente a falta de açúcar no sangue e está desejoso de alguma energia extra. E, por isso mesmo, é mais ou menos por esta altura que bebe mais um café, acompanhado de um bolo. Evite essa tentação e escolha um combustível mais duradouro: cereais integrais ou fruta com baixo índice glicémico.
Avaliação: