5 motivos para conduzir mais devagar e como fazê-lo

Muitos condutores, em todo o mundo, só sabem conduzir depressa, ou seja, muito acima dos limites estabelecidos por lei. O pé no acelerador está sempre a fundo porque pensam que vão poupar tempo, mas depressa ficam enervados com os condutores mais lentos ou com aqueles que os ultrapassam e a condução passa a ser sinónima de stress. Será que vale a pena pôr em causa a sua sanidade e segurança rodoviária?

Será que vale a pena gastar tanto combustível, arriscando a sua e a vida dos outros? Porque é que a condução há-de ser uma experiência stressante e recheada de frustração, quando pode ser utilizada como um momento de contemplação e de tranquilidade? Conduzir mais devagar pode reduzir o seu stress, torná-lo um condutor e uma pessoa mais calma, mais feliz. É um passo muito simples que pode dar e cujo retorno é enorme.

5 motivos para conduzir mais devagar

  1. Poupar combustível. Uma das melhores formas de poupar combustível (a par com conduzir menos ou conduzir um automóvel mais ecológico) é conduzir mais devagar, ou seja, cortar no acelerar e desacelerar de forma contínua. Com o preço do combustível cada vez mais caro, gastá-lo porque gostamos de acelerar não é um luxo ao qual nos podemos dar nos dias que correm.
  2. Salvar vidas. Conduzir depressa mata: o trânsito é o que mais mata jovens entre os 12 e os 16 anos de idade; curiosamente tem duas vezes mais probabilidades de matar alguém que atinja ao conduzir a 65 km/hora do que a 55 km/hora (Fonte). Se conduzir sempre com o pé colado ao acelerador, terá menos tempo para reagir a algo que surja no seu caminho e todos sabemos que, na estrada, uma fracção de segundo pode ser a diferença entre a vida e a morte. Conduza devagar para assegurar não só a sua segurança, mas aquela das pessoas que o rodeiam, principalmente quando conduz perto de ciclistas, pessoas a fazer jogging, escolas e zonas com crianças a brincar na rua.
  3. Poupar tempo? Embora pense que a condução a alta velocidade poupa muito tempo, está enganado – a diferença não é assim tão significativa. Aliás, o pouco tempo que está realmente a poupar não compensa se considerar os restantes factores desta lista. O melhor é mesmo sair de casa ou do escritório alguns minutos mais cedo: chegará ao mesmo tempo que alguém que saiu mais tarde e conduziu mais depressa, mas com uma vantagem: sem os nervos à flor da pele e bem-disposto.
  4. Poupe a sua sanidade mental. Para além da importância extrema dos três motivos acima referidos, existe ainda a sua sanidade mental. Troque a condução lunática e enfurecida, por uma condução relaxante e agradável – os seus níveis de stress vão diminuir drasticamente! Quer um motivo melhor?
  5. Simplifique a sua vida. Ao reduzir os seus níveis de stress, vai simplificar a sua vida de imediato, mas podemos ir ainda mais longe, evitando as dores de cabeça que são os pequenos (ou grandes) acidentes, as multas, a constante correria para todo o lado, incluindo o posto de abastecimento! Porque motivo é que havemos de passar a vida a correr? Diminua a velocidade e desfrute mais da vida. Se estamos constantemente com pressa, quando é que vamos chegar ao nosso destino e sermos finalmente felizes? A vida é uma viagem, faça-a de uma forma agradável.

Agora que o convencemos a conduzir mais devagar, vem a parte mais difícil – como fazê-lo? Como quebrar esse hábito tão enraizado? Experimente estas dicas:

  • Música relaxante. Há quanto tempo não ouve música tranquila e bem-disposta? Quando entrar no carro, ponha os seus temas preferidos logo a tocar – para além de o acalmar, é um prazer enorme!
  • Ignore os outros condutores. Não completamente, claro! Há que manter-se atento à estrada… mas não se interesse se aquele vai a “dormir”, se é um “azela” ou se vai a falar ao telemóvel. A maior parte do tempo é a nossa própria irritação com os outros condutores que nos leva a conduzir a altas velocidades, às vezes só para os ultrapassar ou, pior, para os “picar”. Concentre-se antes na sua condução zen.
  • Saia cedo. Se conduz depressa porque está sempre atrasado, então implemente um novo (e saudável) hábito na sua vida: prepare-se mais cedo para poder efectivamente sair do seu ponto de partida mais cedo. Como não vai estar atrasado, pode simplesmente desfrutar da sua viagem até chegar ao destino. 
  • Brainstorming. Utilize o tempo de condução de uma forma mais eficiente do que acelerar e gastar combustível: faça brainstorming! Pense em ideias para o seu próximo artigo, no jantar que vai preparar, nos planos para o fim-de-semana, no amor da sua vida, na viagem do próximo ano, na vida em geral!
  • Do lado direito. Ao conduzir mais devagar, é sábio manter-se fora do caminho dos outros condutores, ou seja, mantenha-se na faixa da direita e deixe os outros “aceleras” passar à vontade. Para além de assegurar a sua segurança e evitar apitadelas nervosas por parte dos outros (porque você está a conduzir muito devagar!), é o que manda o código da estrada.  
  • Desfrute da viagem. Acima de tudo, faça dos momentos passados na estrada experiências positivas e agradáveis – seja na companhia de uma boa música, das suas ideias ou da paisagem. Afinal de contas, a viagem é tão importante quanto o destino.
Avaliação: