10 dicas para deixar de fumar

Cigarro apagado

Quantas vezes já deixou de fumar? E quantas vezes voltou a acender um cigarro, incapaz de resistir ao vício? Deixar de fumar não é fácil, mas é possível. Se acabar de uma vez por todas com este hábito está nos seus planos (foi uma das suas resoluções para o ano novo?) reflicta sobre estas 10 dicas e tente mais uma vez – o sucesso pode estar neste artigo.

  1. Dedique-se a 100%. Grande parte do fracasso dos fumadores que não conseguem deixar de fumar prende-se com o facto de estes não se entregarem a esta “luta” a 100%, ou seja, no fundo sabem que não vão conseguir, não contaram a ninguém, não fizeram um compromisso sério e sólido. É preciso ter um plano, escrevê-lo preto no branco, anunciá-lo no seu blogue, informar familiares e amigos, juntar-se a um grupo ou fórum de apoio. Não facilite este compromisso, pois, uma vez que estiver 100% dedicado a este objectivo, não há volta atrás.
  2. Tenha um plano. Não pode simplesmente acordar um dia e pensar “vou deixar de fumar hoje” – tem de estar preparado, tem de ter um plano. Esse plano deve conter um sistema de apoio, alguém com quem possa falar nos momentos mais difíceis e, claro, um sistema de prémios. Escreva numa folha o que vai fazer quando for assolado pela primeira vontade de fumar e coloque-a num local bem visível, tanto em casa como no trabalho. Se esperar por essa primeira vontade de acender um cigarro para saber como vai lidar com a situação, a batalha pode já estar perdida. Tem de estar completamente preparado para resistir a esses desejos. 
  3. Saiba quais são as suas motivações. Quando a vontade de fumar “atacar”, vai pensar “qual é o mal?” e num segundo vai esquecer o objectivo. Por isso mesmo, tem de conhecer as suas motivações antes de deixar de fumar, antes de ter de lutar contra os desejos – vai deixar de fumar pelos seus filhos? Pela sua mulher? Pelo seu namorado? Por causa da sua saúde? Porque quer poupar dinheiro? Porque quer fazer parte de uma equipa de desporto colectivo? Porque o seu médico o aconselhou? Tenha uma lista com todas as excelentes razões que o levaram a tentar deixar de fumar bem visível, física ou mentalmente, e lembre-se delas quando surgir aquele impulso.
  4. Nem uma passa. A nossa mente é perita em enganar-nos e pode ter a certeza que lhe vai dizer “não é um cigarro que lhe vai fazer mal” e, claro, vai ser muito difícil argumentar com isso se todo o seu corpo lhe está a pedir para fumar. Apesar de ser extremamente difícil ignorar esses desejos (vamos ser realistas!), não pode ceder. De maneira nenhuma. Determine desde o início que não voltará a fumar, nem uma única passa. Porquê? Porque uma passa vai levar à segunda, que vai levar à terceira, que vá levar a um cigarro inteiro, que vai levar a outro. Não se iluda – uma simples passa pode ser o passaporte para uma recaída.
  5. Inscreva-se num fórum. Quem está miserável (neste caso porque não pode fumar) gosta da companhia de outros que estejam exactamente na mesma situação, desta forma não se vai sentir tão sozinho. Por isso mesmo, o ideal é juntar-se a um grupo de apoio real ou a uma comunidade virtual onde todos estão a tentar deixar de fumar – a partilha de experiências e sugestões é extremamente valiosa. Aqui existe apenas uma regra que deve tentar cumprir: procure-os sempre que lhe apetecer fumar, são as pessoas ideias para o convencer a não fazê-lo. Para além disso, será um grupo espectacular com quem celebrar pequenas vitórias, suas e dos outros.
  6. Tenha um sistema de recompensas. Todo o esforço que é tentar deixar de fumar pode e deve ser compensado, por isso, tenha um plano para todos os seus sucessos, principalmente depois do primeiro, segundo e terceiro dias; depois da primeira semana e da segunda; depois do primeiro mês, do segundo, do sexto; sempre que achar apropriado. E capriche nesses prémios: CDs, DVDs, livros, roupa, um par de sapatos, uma massagem, um jantar fora, um fim-de-semana num hotel magnífico… Para além disso ou em alternativa, coloque o dinheiro que gastaria diária ou semanalmente em cigarros num frasco e veja o seu “prémio” crescer de dia para dia!
  7. Atrase. Quando for assolado por um desejo, não ceda, espere e faça o seguinte: inspire e expire 10 vezes, beba um copo de água, coma qualquer coisa, telefone à pessoa que mais o tem apoiado nesta fase, escreva um post no seu fórum, dê uma caminhada… faça o que tiver de fazer, mas atrase essa cedência até deixar de sentir o desejo. Pode demorar, mais ele vai desaparecer e você vai conseguir. Quando conseguir, celebre e vença esta batalha um desejo de cada vez.
  8. Substitua hábitos negativos por positivos. O que faz quando está mais stressado, ansioso ou zangado? Acender um cigarro claro. É óbvio não é? Vai ter de arranjar uma nova forma de reagir ao stress e de preencher os momentos em que pegava sempre num cigarro (ao levantar-se ou quando conduzia, por exemplo): meditar, respirar profundamente, massajar uma bola de stress, apanhar ar fresco, ouvir música, ir para o ginásio… Já que está numa de desafio, aproveite para substituir os hábitos negativos por positivos.
  9. Pensamento positivo. Para quem está a tentar deixar de fumar, os primeiros dois dias são os mais difíceis – se conseguir sobreviver a essas 48 horas sem acender um único cigarro conseguiu ultrapassar a fase de “ressaca da nicotina” e o resto é força de vontade mental. No entanto, a primeira semana vai continuar a ser difícil, mas em compensação, a segunda já será um pouco mais fácil. Normalmente a partir daí, não há que enganar, basta pensar de forma positiva e confiante. Os desejos serão cada vez menos frequentes e menos fortes, mas quando aparecerem não se esqueça dos seus motivadores e principalmente de tudo aquilo que já conseguiu conquistar. Pense que vai conseguir, porque vai… afinal já tanta gente consegui deixar de fumar, porque não você?
  10. Se cair, levante-se e aprenda com os erros. Todos nós fracassamos, é normal e não significa que somos uns fracassados ou que somos incapazes de ser bem-sucedidos. Se ceder aos desejos, se voltar a fumar, não é o fim do mundo – é altura de se levantar e de voltar a tentar. É natural que um fumador não consiga deixar o vício à primeira, mas há-de chegar à sua meta; entretanto, veja onde errou, quais foram os maiores obstáculos e como pode ultrapassá-los na próxima tentativa. No entanto, não espere muito tempo para voltar a tentar – dê-se alguns dias para voltar a planear, a motivar-se e a comprometer-se. Vai conseguir.
Avaliação: